Bali: o que esperar e em que zona ficar

O que esperar

Casas que parecem templos, campos de arroz infinitos, desconhecidos que nos sorriem com o coração, cerimónias que nos envolvem na cultura local, artesanato único com um toque tropical, dança e música que nos enchem a alma e sabores que nos desafiam o paladar. Bali é das mais famosas ilhas da Indonésia, a mais falada nos últimos tempos e tudo isto (e muito mais) pode justificá-lo facilmente.

flearound-bali-rice-terrace.jpg

Estamos neste momento a escrever-vos de Bali e, desde que chegámos, que a pergunta que mais fazem é: “ainda vale a pena ir a Bali?”. A resposta é fácil mas tem rasteira: Sim!

Mas (há sempre um mas não é?) é preciso saber onde ir, o que fazer e especialmente onde ficar. Vamos ser realistas, um sítio com praia, sol, surf e boa comida (a preços bastante amigáveis) atrai muitos e diferentes tipos de pessoas. Muita gente, muitas lembranças, muito comércio e muitos restaurantes pela costa fora. Não soa muito a paraíso, certo? Por isso mesmo, zonas como Canggu e Kuta não foram as nossas preferidas. Se não abrirmos os olhos e distribuímos o “mal - neste caso o turismo - pelas aldeias”, literalmente, em breve este paraíso não vai passar de uma série de vilas e casas bonitas construídas para quem cá vem e não para quem cá vive.

Felizmente, existem zonas alternativas e menos exploradas, com menos turistas e mais gente da terra, ondas azul turquesa onde podes surfar e casas de famílias locais rodeadas de campos de arroz onde podes relaxar.

Onde ficar

Pela nossa experiência pessoal, que pode não ser adequada para todos (lembrem-se que nem todos gostam de ananás na pizza), as melhores zonas para ficar, de forma a conhecer a verdadeira essência de Bali, são:

Ubud e arredores

A aproximadamente uma hora do aeroporto, vão encontrar um lugar de templos encantados e campos sem fim conhecido como o centro cultural de Bali.

flearound-bali-transport.jpg
flearound-bali-offerings.jpg

Não vamos mentir, no centro de Ubud também existem bastantes turistas, trânsito e estabelecimentos que claramente não foram pensados para locais. Mas, e tendo em conta que visitamos Bali durante a época baixa, as pessoas vão fluindo pela vila.

Facilmente conseguem alojamento a 20 minutos a pé do centro (Jalan Raya Ubud e Monkey road) super tranquilo e fácil de chegar. Nós ficámos na Teba House Bisma Ubud por uns dias e adorámos: um bom preço (desde 8€ para duas pessoas com pequeno-almoço), super limpo, rodeado de verde e a 20 minutos a pé do centro. Outra sugestão com características idênticas mas com piscina: Kopisusu Guesthouse Ubud.

☞ Ubud (e arredores para estarem mesmo em sossego) é das melhores zonas para ficar em Bali de forma a explorar as aldeias vizinhas. Tendo em conta a localização, é um óptimo ponto de partida para explorar o imperdível Norte de Bali e todas as cascatas à volta. É das poucas zonas em Bali onde não é preciso alugar moto para ver templos, campos de arroz e florestas (falando de Ubud centro).

Recomendamos ficar por Ubud de 3 a 5 dias (dependendo de quanto tempo têm e o tipo de viagem que querem fazer) contando que, durante esse período, podem explorar outras regiões à volta como as cascatas, os campos de arroz, um vulcão, templos e palácios reais que vos vão enviar para um filme encantado. Para terem uma ideia do que vimos, podem espreitar o nosso Instagram.

flearound-bali-palace-music.jpg

Uma alternativa para quem quer estar mesmo afastado do movimento e rodeado de cultura local e natureza perto de Ubud é Gianyar.

Sugestão: rodeado de natureza, com bicicletas incluídas no preço (9€ com pequeno almoço) e uma decoração típica: Umah Nik Homestay ou com piscina: Barn N Bunk. Mas a dica mais fácil é procurar o alojamento no Booking ou Agoda e, através do mapa de Bali, ver quais são as zonas que oferecem mais alojamento e ficar num que esteja mais distanciado.

Em breve, vamos partilhar um post com mais detalhes sobre o que ver, fazer e visitar em Bali. Para não perderes as dicas dos melhores sítios e truques para viver mais Bali e a cultura local, junta-te à família Flearound aqui.

☞ Uluwatu

Para quem quer experimentar Surf ou simplesmente nadar num paraíso de areia branca, mas dispensa a praia cheia de turistas e bares, as águas azuis da zona de Uluwatu têm de estar na vossa lista. A verdade é que as praias com mais areal e fácil acesso vão ser sempre as zonas onde se instalam as grandes cadeias de hotéis, restaurantes e bares sem fim mas nós não queremos isso, certo? Para além da areia branca, esta zona tem bastantes falésias o que permite uma vista panorâmica lá bem do alto e que tenhamos de suar aproximadamente 1 litro de água para descer ao paraíso (ok, ok, um bocadinho menos) mas prometemos que VALE A PENA! Aqui há equilíbrio, ainda que seja tranquilo, existem bastantes opções de alojamento para todos os bolsos e bares locais de surf, yoga e opções para todos os gostos.

flearound-bali-uluwatu-greenbowlbeach.jpg

Aconselhamos ficar por Uluwatu cerca de 3 dias, no início ou no fim da viagem, uma vez que fica na parte sul da ilha e têm de passar pelo aeroporto para lá chegar.

Sugestão: Uluwatu Made Guesthouse, quarto duplo desde 11€ ou Jordan Guesthouse desde 15€ com pequeno-almoço.

☞ Zona Norte

Se querem explorar o lado selvagem e natural de Bali e visitar cascatas menos movimentadas, lagos gigantes no meio de montanhas e florestas com árvores que tocam no céu, uns dias pelo Norte de Bali podem ser a vossa viagem de sonho.

flearound-bali-munduk-waterfall.jpg
flearound-bali-munduk-twinlake.jpg

O tempo que passam pelo Norte de Bali vai depender muito do tipo de viagem e tempo que têm. Se têm tempo, aconselhamos a ficar pelo menos três dias pela região. Se não querem perder a visita mas não têm muito tempo, podem acordar com as galinhas e ir numa excursão aos pontos mais emblemáticos ou então alugar uma moto, acordar com as galinhas na mesma e explorar livremente. Em breve vamos sugerir um itinerário com sítios a não perder em Bali, para não perderem nenhuma informação, cliquem aqui.

Sugestão: Com vista de vulcões e colinas, One Homestay and Warung com quarto duplo desde 7€ ou, com pequeno-almoço, Guru Ratna desde 11€.

☞ Zona Sudoeste

Se preferem restaurantes locais e zonas com menos bares mas querem espreitar o Surf e as praias da zona de Canggu (conhecido por ser o paraíso dos nómadas digitais) podem facilmente encontrar alojamento afastado das zonas com mais movimento. Dalung, por exemplo, fica a 20 minutos de mota da praia e tem suficiente oferta de alojamento em casas rodeadas de campos de arroz. O truque é ficar afastado da praia para mais sossego e vida local, ou mais perto para conhecer outros viajantes e ter surf à porta de casa.

flearound-bali-surf-beach-sunset-2.jpg

Sugestão: Local, típico e barato (quarto duplo desde 5€), The Reinhold Guesthouse Bali, com possibilidade de pequeno-almoço por 1€.

Não nos interpretem mal, adoramos comida e a maioria dos sítios em Canggu, por exemplo, parece de comer e chorar por mais. Quem não gosta de torrada de abacate ou ovos? Mas se as coisas não forem construídas, criadas e pensadas considerando a segurança e a preservação da cultura local, em poucos anos vamos dar por nós a viajar para outros países para comer, ver e fazer exactamente as mesmas coisas que fazemos em todo lado. O nosso conselho, é comer o mais local possível; (se necessário) comprar em lojas locais, ficar em casas de hóspedes locais e apoiar restaurantes, mercados e comércio local. No final de contas, lembrem-se que foi o paraíso genuíno e tropical que nos trouxe aqui em primeiro lugar, certo?


Como ir

Das coisas que menos gostamos em Bali, foi ter de depender da mota para explorar os cantos à ilha. Claro que a mota é prática e nos dá liberdade, mas imaginam o caos que é se toda a gente o fizer, certo? Normalmente preferimos o transporte público que, para além de ser mais sustentável para os lugares que visitamos (poluição, trânsito, etc), é o mais barato, mas em Bali é escasso ou inexistente. Existem 3 opções para se movimentarem em Bali: alugar mota por 50 000 por dia (≅ 3€) para quem está confortável em conduzir; Grab, uma aplicação do estilo Uber, e a opção de mais barata se não estão confortáveis com a mota e a que devem utilizar quando estão a sair do aeroporto (dica: podem utilizar o Wifi do aeroporto); e por fim contratar um guia local, para vos acompanhar e levar a sítios durante o dia. Se quiserem falem com o Gedee pelo Facebook ou Whatsapp +6287861044244, o preço é bom e nada melhor que a companhia de um local para conhecer os cantos à casa.

Esperamos que este post vos ajude a decidir a melhor zona para ficar em Bali e o que esperar da vossa viagem. Em breve, vamos partilhar com mais detalhe onde ir e o que ver em Bali: subscrevam a nossa newsletter. E se têm dúvidas, já estiveram ou vão estar em Bali deixem nos comentários a vossa experiência que é para isso que estas páginas existem.

 
 
 

☞ Como ainda não entramos para a lista dos milionários mundiais, continuamos a precisar da vossa ajuda. A melhor forma (e mais fácil) de nos ajudarem é utilizar os nossos links afiliados, como por exemplo os do Booking e da Iati Seguros para fazerem as vossas reservas.

 

Instagram